Redação Espírita - Mensagens, Palestras Online, Psicografias...

MENU

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Entendendo o Amor

Entendendo o Amor

Amigos, vamos refletir hoje sobre o que é o amor? Vejam a quantidade infinita de definições e tipos de amor que a sociedade nos apresenta. Qual a razão de tão diferentes definições e formas de amor, quando sabemos que o amor existe de forma latente em nosso interior?

Amigos, vamos refletir hoje sobre o que é o amor?

Vejam a quantidade infinita de definições e tipos de amor que a sociedade nos apresenta.

Qual a razão de tão diferentes definições e formas de amor, quando sabemos que o amor existe de forma latente em nosso interior?

É preciso recordar que todos somos perfectíveis, mas não perfeitos, ou melhor que podemos chegar a perfeição relativa através de um processo de aprendizado contínuo respeitando sempre o estágio no qual cada um se encontra. Temos toda a eternidade para realizarmos o nosso aperfeiçoamento.

Assim como qualquer virtude o amor também é um aprendizado, uma conquista pessoal. Por isso vemos tanta diversidade de conceitos e tipos.

Mas um questionamento surge: quais os melhores tipos e definições de amor?

Rebato esse questionamento com um novo questionamento: Se tudo é amor, ou seja, se ele existe de forma latente no Eu Crístico, haverá um amor melhor que outro? Será que esses amores são realmente amor ou será uma forma de expressarmos e nomearmos algo que ainda não entendemos?

Os gregos usavam três palavras distintas para identificar os tipos de amor.

Assim tinham o “Eros” que é o amor sensual, o amor dos casais.

O “Philo” que é o amor afeição, destinado aos amigos, familiares, animais e também as coisas (como o amor a filosofia = amor à sabedoria).

E por último o “Ágape” que é o Amor de Deus, o Amor Incondicional.

Todos esses tipos de amor estão inseridos dentro do Amor latente do Eu Crístico. Assim de acordo com o nosso estágio e os diversos papeis que desempenhamos em nossa jornada evolutiva vamos lapidando esse diamante. Quanto mais cuidado e esmero, ao lapidarmos ele mais precioso e radiante se tornará.

É dessa maneira que veremos a nossa chama interior, a nossa luz brilhar.

Amor não é gostar, ou gostar muito, mas acima de tudo amor é sintonia, harmonia, equilíbrio e energia.

Somos todos energia e estamos a todo instante interagindo. Assim para que eu possa expressar meu amor a Deus, a qualquer pessoa, animal ou ciência, primeiramente eu preciso vivenciar o auto amor. Se não me amo como poderei amar o outro e a Deus?

Auto amor não é egoísmo ou egocentrismo. Auto amor é o desenvolvimento da alegria, da confiança, da humildade, da serenidade, do respeito. É a busca do conhecimento do próprio eu que irá transcender em prol do BEM da unicidade com o Pai na qual Somos Todos Um.

Não há nada de errado em se viver os três tipos de amor, pois todos eles fazem parte de nosso aprendizado e crescimento, além de formarem, quando vividos em equilíbrio, o Amor Integral.

Somos seres duais (ser físico e ser espiritual, ser sombra e ser luz). Não é na ausência de uma dualidade que conseguiremos a perfeição ou atingiremos o nível do Amor de Deus, mas sim no equilíbrio, na harmonia dessas dualidades. Pois ainda estamos muito aquém da perfeição.

Neste contexto o auto amor vem nos auxiliar a entender e amar o nosso lado sombra assim como amamos o nosso lado luz, pois somente amando e conhecendo as sombras é que conseguiremos vigiar e gradativamente, aos poucos ir propagando a luz.

Quando não aceitamos as dualidades acabamos por usar máscaras, criando falsas qualidades e uma perfeição de que ainda não somos capazes de exercer. Surge então o processo de conflito interior nos arrastando para longe de nós mesmos e do Pai.

Transferimos toda essa angústia para o outro.

Camuflamos esses sentimentos através dos pseudo amores, assim tomamos posse de pessoas e dizemos que é por amor, quando o amor não se impõe… Não se limita, mas se expande a todo o Orbe.

Criticamos e julgamos em nome do amor, quando o amor não julga… Apenas se faz presente, pois sabe que cada um chegará, há seu tempo, ao entendimento.

Todo o Orbe terrestre é um exercício para nós do Amor de Deus. Assim o Amor sempre partirá do “eu” (interior) para o exterior. Para progredirmos no aprendizado da Escola de Amor, precisamos exercitar o auto amor.

Lanço a vocês um desafio para esta semana. Sugiro que parem por cinco minutos diariamente e se permitam sem julgamentos, sem falsas expectativas, sem máscaras, encontrarem pontos de sombra e luz no eu mais profundo.

Após este encontro aceitem os pontos que ainda precisam de aperfeiçoamento, mas se sintam profundamente amados pelo que são hoje. E na certeza desse Amor que provém do Pai, estipulem uma meta factível para muito lentamente começar a expandir a luz, vigiando sempre.

O processo de vigiar passará por três momentos, que poderão levar uma vida toda.

Iniciemos pelo primeiro estágio no qual consiste na análise de uma atitude equivocada, encontrando a atitude mais apropriada para aquela situação. Repitam esse procedimento, pois sabemos que não é fácil mudar conceitos e atitudes.

Continuem vigiando e poderão então passar para segunda fase que consiste em perceber o equívoco de uma ação enquanto ela está em andamento e assim, corrigir o curso para que o efeito seja menos nocivo. Perceberão que algumas vezes teremos êxito nessa fase e em outros momentos não conseguiremos e teremos que retornar a fase um, mas não desanime, o processo é lento e por isso é necessário amor, paciência e muita perseverança.

E quando possível, passemos para a terceira fase do vigiar que consistirá em vigiar os pensamentos de forma a não permitir que a ação equivocada seja efetivada. Com certeza essa fase será utilizada em toda a nossa existência enquanto encarnados.

Sugiro que para o desenvolvimento deste desafio escolham somente uma postura que precise de aperfeiçoamento, mas que seja mais fácil de ser executada.

E por favor, não esperem passar por todas as fases do vigiar em um breve espaço de tempo.

Não é assim que funciona, a natureza sábia não dá saltos gigantescos, mas vai preparando suas transformações lentamente a fim de que o equilíbrio e a serenidade permaneçam durante todo o processo.

Durante o exercício do auto amor lembrem-se de que o Pai ama a todos sem distinção de pessoas e de lados. Ama tanto a sombra quanto a luz.

Amar é verbo que exige ação… Auto amor sem a predisposição de aperfeiçoamento é egocentrismo.

Meus queridos amigos permaneçam confiantes na jornada.

Fiquem com o Amor do Pai e todo o nosso carinho.

Médium: Lúcia
Espírito: Irmão Matheus (Colônia Espiritual Maria de Nazaré)

Veja Também!

Os artigos relacionados podem te interessar:

[Ver mais sobre Brancos Existenciais]

Brancos Existenciais

Há momentos em que as palavras somem e ficam apenas os sentimentos, acompanhados daquela...

[Ver mais sobre Flores e Frutos]

Flores e Frutos

A magnitude da bondade de Deus se manifesta espontaneamente em todos os cantos de sua obra.

[Ver mais sobre Que Brilhe a Vossa Luz!]

Que Brilhe a Vossa Luz!

Eis meus amigos o convite do Mestre: Que Brilhe a Vossa Luz! Por que somos convidados a fazer com...

Olá, deixe seu comentário para Entendendo o Amor

Enviando Comentário Fechar