Redação Espírita - Mensagens, Palestras Online, Psicografias...

MENU

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Nós e o Pai

Nós e o Pai

Deus, Pai amoroso e bom, para que o homem adquirisse confiança plena em Sua bondade infinita, determinou que vários anjos o acompanhassem durante a existência terrena.

Deus, Pai amoroso e bom, para que o homem adquirisse confiança plena em Sua bondade infinita, determinou que vários anjos o acompanhassem durante a existência terrena.

Para o receber, no berço, Deus empresta um anjo lirial que, aproveitando os lábios da mãezinha adorável, ensina-lhe os primeiros passos, as primeiras palavras e, entre elas, ensina-o a proferir singela oração, enaltecendo o nome de Deus.

É o anjo da pureza.

Mais tarde, soletrando o alfabeto, entre as paredes da escola, surge o anjo de luz verde que, por intermédio da professora, o ensina a escrever e lhe dá a notícia de que Deus é o Criador de todas as coisas.

É o anjo da esperança.

Passam-se os anos e ele penetra numa casa de ensino superior, sob cujo teto venerável é visitado por um anjo de luz dourada que, através de educadores eméritos lhe fala da glória e grandeza do Criador, utilizando a linguagem da filosofia e da ciência.

É o anjo da sabedoria.

Todavia, nessa escalada para os altos planos do conhecimento, o homem se torna caprichoso e exigente.

Esquece os direitos dos semelhantes e deseja conquistar a atenção de Deus para si somente.

A Majestade Divina, a seu parecer, devia inclinar-se aos seus petitórios, atendendo-lhe as solicitações, sem nada exigir.

E como o Criador não Se submete aos seus caprichos, começa cultivar o espinheiro da negação e da dúvida.

Por mais que se esforce o anjo dourado, rogando-lhe que reverencie o Senhor da Vida, acatando-lhe as Leis, o homem mais mergulha na indiferença.

E, quando os tormentos se tornam insuportáveis, busca um templo religioso, onde um anjo azul o socorre valendo-se de um sacerdote, para recomendar-lhe a prática do trabalho e da humildade, com retidão de consciência e perseverança no bem.

É o anjo da fé.

O homem lhe registra os avisos mas, sentindo enorme dificuldade para os exercícios da virtude, clama intimamente: Deus? Mas existirá Deus realmente? E por que razão não me oferece provas indiscutíveis do Seu poder?

E assim passa o tempo…

O homem se casa, constitui família e os anjos seguem-lhe os passos, na tentativa de conduzi-lo ao Criador.

Mas, ingrato, ele mais se afasta de Deus, acreditando-se onipotente, e cada vez mais rebelde, se questiona: Deus? Será que Deus existe, mesmo?

Percebendo que a existência do seu tutelado está por findar e que sua cabeça branca e orgulhosa continua distante do Pai, os anjos rogam ao Senhor as bênçãos em benefício do Seu filho rebelde.

É quando Deus envia, da glória celeste, um anjo cinzento, de semblante triste e discreto.

Este não toma ninguém para comunicar-se. Ele próprio abeira-se do filho revoltado do Altíssimo, abraça-o e sopra-lhe ao coração a mensagem de que é portador…

Sentindo-lhe a presença, o homem cambaleia, deita-se e começa a reconhecer a precariedade dos bens do mundo…

Nota quão transitória é a posse dos patrimônios terrestres, dos quais não passa de usufrutuário egoísta. Observa que a sua felicidade passageira é simples sombra a esvair-se no tempo…

Nesse instante o homem medita… Medita… E, por fim, reconsidera suas atitudes. Com lágrimas de sincera e profunda compunção, qual frágil menino, dirige-se pela primeira vez, com toda a alma, ao Todo Poderoso, suplicando:

Deus de infinita misericórdia, meu Criador e meu Pai, compadece-Te de mim!…

O anjo cinzento é o anjo da enfermidade.

E não há quem não se dobre diante desse mensageiro fiel do Criador.

 

Redação do Momento Espírita com base no cap. 5, do
livro Contos desta e doutra vida, pelo Espírito Irmão X,
psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Feb.

Veja Também!

Os artigos relacionados podem te interessar:

[Ver mais sobre Sempre com alegria]

Sempre com alegria

Irmã Ananda. Ananda quer dizer alegria. Irmã Alegria. Desde sua mais tenra infância,...

[Ver mais sobre Pobreza e riqueza]

Pobreza e riqueza

Pela metade do século XX, um filme de suspense de Alfred Hitchcock fez sucesso: O homem que sabia...

[Ver mais sobre Perante as tempestades]

Perante as tempestades

Raios caíam rasgando o céu. Trovões ressoavam sacudindo paredes. Ventos fortíssimos carregavam...

[Ver mais sobre Os desafios da vida]

Os desafios da vida

Abrir a caixa de um quebra-cabeças pela primeira vez, desses de milhares de minúsculas peças, é...

Olá, deixe seu comentário para Nós e o Pai

Enviando Comentário Fechar